As organizações que nos ajudam a viver melhor

As organizações que nos ajudam a viver melhor

ONG. Organização Não-Governamental. Há muitas. Provavelmente já ouviste falar delas. Estão espalhadas por todo o Globo, e têm diferentes funções. Atuam desde o âmbito local ao internacional. Sabe como são constituídas, o que fazem e quais as principais.

As Organizações Não-Governamentais (ONG) são associações criadas para a defesa de determinados valores ou interesses. Sem fins lucrativos, nascem na sociedade civil e sem ligação a empresas ou ao Estado. Caracterizam-se por ações de solidariedade em diferentes áreas da vida pública: política, cidadania, ambiente, pobreza, discriminação. Para além de contribuírem para o bem-estar de todos e do Planeta, funcionam, muitas vezes, para denunciar e contrariar práticas abusivas. São, por isso, uma forte ferramenta de mobilização social e contribuem para a manutenção da democracia.

Também é preciso defender a natureza

A World Wide Fund for Nature, ou WWF, e a GreenPeace são duas das mais conhecidas organizações que defendem a preservação da Natureza, da fauna e da flora. Mas apesar de atuarem a nível global e de serem das mais faladas, há outras semelhantes. Fica a conhecer a Seas at Risk (SAR), uma ONG europeia que trabalha para que a vida nos mares e oceanos europeus e do Atlântico Norte seja abundante, diversificada, resiliente ao clima e não ameaçada por atividades humanas. Para isso, defende a legislação ambiental e de pesca sustentável, promovendo políticas ambiciosas de proteção marinha a nível europeu e internacional.

As da ajuda humanitária e direitos humanos

Uma das mais conhecidas é a UNICEF. Criada em 1946, chamava-se United Nations International Children’s Emergency Fund (Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância), depois, tornou-se membro permanente da Organização das Nações Unidas e passou a designar-se Fundo das Nações Unidas para a Infância, mantendo, no entanto, a sigla original. Auxilia todas as crianças sem discriminação de cor, sexo, língua, religião, opinião política ou outra, com prioridade para as mais desfavorecidas. Mas conheces também a SURVIVAL? Foi fundada em 1969, aquando da matança indiscriminada de índios na Amazónia, e visa defender todos os povos indígenas do Mundo, pessoas mais expostas à violência, exploração de recursos, escravidão e racismo.

As que têm cunho nacional

Em Portugal, os cidadãos têm o direito de constituir associações independentemente de qualquer autorização, desde que não se destinem a promover a violência e os respetivos fins estejam dentro da lei. Apesar de algumas das associações internacionais mais conhecidas atuarem também em solo nacional, como é o caso da Cruz Vermelha ou da Cáritas, há ONG importantes que foram criadas em solo português. Temos a Assistência Médica Internacional, de cariz médico, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, que trabalha para defender vítimas de diversos tipos de violência, o Banco Alimentar contra a Fome, que, através de uma rede de voluntários, entrega comida a pessoas mais desfavorecidas ou a Quercus, de âmbito ambiental. Entre tantas outras.

ONG portuguesa que atua no Mundo

Damos-te a conhecer ainda a Oikos – Cooperação e Desenvolvimento. É uma ONG que atua junto das comunidades de regiões e países mais pobres e vulneráveis, independentemente da sua origem étnica, língua, religião ou geografia, lutando para que o desenvolvimento humano seja equitativo e sustentável à escala local e global. A Oikos tem dois vetores de ação principais. O primeiro é a assistência e proteção numa situação de emergência, assistindo comunidades locais na gestão e redução dos fatores de risco social, ambiental e económico. A ONG aposta ainda em Portugal, África e América Latina para o desenvolvimento das comunidades através da educação, mobilização social e influência pública, com ações em escolas sobre os temas, formando cidadãos informados e ativos.

Texto: Sara Sofia Gonçalves